quinta-feira, 25 de novembro de 2021

O MEU PRIMEIRO DISCO DE RAUL SEIXAS - COMO TUDO COMEÇOU

       O meu primeiro contato direto com a obra musical de Raul Santos Seixas (28/06/1945 - 21/08/1989) deu-se a partir de 1991. Para ser mais exato, foi no final deste referido ano, quando então chegara em Queimadas PB um parquinho de diversões, o qual se instalou por detrás da igreja matriz.

       Coincidentemente, sempre que aparecia por lá, eu ouvia tocar um determinado disco de vinil todo arranhado do Raul. E eu já me amarrava em músicas como Eu nasci há dez mil anos atrás, Gita, Ouro de Tolo... embora não soubesse praticamente nada a respeito do cantor que as interpretava.

         Adiantado pra variar, na época eu negociei esse disco no valor de um novo com o proprietário do parque. Lembro-me que fui na companhia de um amigo, Ironildo. No dia seguinte, quando lá retornei para brincar no parquinho, o coroa já havia substituído o disco velho por um novinho em folha, justificando aquele velho ditado: “quem tem besta não compra cavalo”. E foi então, a partir desta data, 25/11/1991, que eu tornei-me esse fã póstumo, porém fervoroso e incondicional da arte de Raulzito Seixas, procurando conhecer a fundo toda sua obra e os detalhes mais indispensáveis possíveis.

Ironildo

      Mas, claro, eu não poderia jamais esquecer os meus amigos Eduardo (que se encontra hoje no Rio de Janeiro) e Alessandro, Sandrinho (este residente em Queimadas, motorista de van), os verdadeiros precursores - dentro de nossa faixa etária, óbvio - do mito Raul Seixas em toda a cidade de Queimadas. Os únicos camaradas que numa época tão distante (1989/1990) mostraram-me em primeira mão um Raul que eu ainda não conhecia e, infelizmente, cheguei até a ignorar.

          Também pudera, vendo e ouvindo-lhes curtir aquele som tão diferente, a princípio até estranho para mim (algumas músicas que eu só viria a conhecer bem mais tarde), há de se convir que fosse natural uma rejeição logo de cara. Ainda mais para um sujeito como eu, que nunca se ligou efetivamente em música. Lembro-me, até mesmo, que cheguei a dizer-lhes algo que nunca esqueci, uma frase do tipo:

        - Como é que alguém pode gostar de ouvir as músicas de um cara que já morreu?

        Hoje em dia sou eu quem ouço muita gente dizendo a mesma coisa. Chega a ser irônico. É tão simplesmente a ignorância daquilo que se ignora. A propósito, um artista universal como Elvis Presley, considerado o ídolo maior de Raul, ainda hoje continua vendendo dezenas de milhares de discos e sendo lembrado em todo o mundo, mesmo após a sua morte, em agosto de 1977.

Sandrinho

Eduardo

        Durante a minha infância e adolescência, eu realmente não fazia ideia de quem era, na verdade, Raul Seixas. E também não me recordo, até hoje, absolutamente de nada a respeito de sua morte, em agosto de 1989. Não havendo, portanto, nenhuma lembrança dessa época. Algo que só vim mesmo ficar por dentro anos depois, através de fotografias e imagens do fato ocorrido.

          Eu precisei, portanto, “entrar no buraco do rato para com o rato poder transar”, como diria o próprio Raul. E o ponto de partida para conhecer a fundo toda sua biografia, bem como poder entrar em sua vasta e importantíssima obra musical foi definitivamente o meu velho disco, Os Grandes Sucessos de Raul Seixas. Aquela “bolacha”, o primeiro LP que comprei na minha vida, foi realmente o começo de tudo, uma “separação de águas”, eu diria assim. Um marco na minha vida e que me transformou no que sou hoje, mais um de tantos “Malucos Beleza” espalhados por esse Brasil afora, e até no exterior. Neste ano de 2021, mais precisamente no dia de hoje, 25 de novembro, completam-se, da minha parte, 30 anos de culto à memória do Raul. 


                 
            

terça-feira, 23 de novembro de 2021

CORDEL - RETRATO 3X4 DE UM PAÍS NO BURACO

        Intitulado Retrato 3X4 de um país no buraco, este foi um dos primeiros cordéis que escrevi, ainda no Rio de Janeiro, em 2009. Composto em décimas, procurei utilizar o seguinte mote: "Um dia o Brasil vai dar certo, esse será o seu maior legado." Alguns temas abordados são temporais, episódios tristes que, à época, repercutiram bastante na mídia.


terça-feira, 2 de novembro de 2021

40 FIGURAS MARCANTES DA HISTÓRIA QUEIMADENSE – álbum 3

     E para hoje, 02 de novembro de 2021, Dia de Finados, apresento este terceiro álbum repleto de cidadãos ilustres, personalidades queimadenses ou pessoas que, de alguma maneira, tiveram algum vínculo com a cidade, marcando definitivamente a sua trajetória no lugar. Uma publicação toda especial e que, mais uma vez, entrará para a história do meu Facebook e também aqui do Blog.

     Confiram a seguir, mais de quarenta personagens que contribuíram ou influenciaram na história de Queimadas/ PB. Em especial, nas áreas política, na educação, no meio artístico, social e ainda no comércio local. Em tempo, algumas das pessoas mais queridas e populares de Queimadas, as quais, infelizmente, já não convivem entre nós. Restando, enfim, a saudade em nossos corações.

      Deixo aqui o meu agradecimento, em especial, aos amigos e parentes que colaboraram com esta publicação, fornecendo-me algumas das fotografias aqui selecionadas.


1 - José Lopes de Andrade, um dos cidadãos mais ilustres de Queimadas.
Era bastante conhecido nos campos da administração pública e
na educação, tanto local (Campina Grande) como estadual.
Chegou a ser prefeito de Campina por alguns dias.

2 - Dona Joaninha, esposa de Antônio Pereira da Silva e mãe
do saudoso Luís Pereira da padaria.

3 - Padre Oscar Cavalcanti, que ficou à frente da paróquia
de Queimadas entre os anos - 1944 a 1963.

4 - Padre João Bosco, ficou à frente da paróquia de Queimadas entre os
anos - 1963 a 1972, sendo então sucedido pelo saudoso Padre Antônio Lisboa.
E ainda na mesma foto, a família de Seu Nêgo de Fausto e Dona Docimira
(ambos falecidos), com os filhos pequenos.  
 
5 - Francisco Ernesto do Rêgo, pai do saudoso Carlos Ernesto
e avô do ex-prefeito Saulo. Nesta fotografia, de meados da década
de 50, aparece ao lado de sua consorte, a Sra. Adiles Ernesto de Melo.

6 - D. Maria Leal e Seu Carlos Ernesto  foram, sem dúvida, o casal 20
de Queimadas. Pais do ex prefeito e também falecido, Saulo Ernesto,
personagens importantes de nossa história.

7 - Dr. Patrício Leal. Tio do ex prefeito Saulo Ernesto.
Foi um médico e acabou sendo homenageado com o
nome do hospital regional de Queimadas.

8 - Ioiô Batista, da comunidade do sítio Olho D'agua. Foi um
homem bastante influente em sua época. Comerciante e pequeno
 proprietário rural, descendente direto dos Lopes de Andrade.
Na revolução paulista de 1932, foi soldado do exército brasileiro.

9 - O casal Luiz Aragão dos Santos e Vicência Braz dos Santos. Eles
que são os avós de quase a metade da família ‘Aragão’ da Guritiba.

10 - Antônio Mariano, foi um dos moradores mais
ilustres da comunidade da Pedra do Sino.

11 - Zé Lucena, pai do vereador Ricardo Lucena, foi um
fazendeiro e comerciante de algodão em Queimadas. Na foto,
a sua também já falecida segunda esposa, Dona Socorro.

12 - Manoel Alfredo. Era um homem íntegro, de muitas posses,
porém muito 'seguro'. Em épocas remotas, tinha loja de tecido no
centro de Queimadas e muita terra na comunidade das Campinas.

13 - José Virgulino e Dona Maria. Esse casal, à época moradores
do bairro do Castanho, organizavam uma das maiores
quadrilhas juninas da cidade.

14 - Inacinho, taxista queimadense que foi assassinado
covardemente enquanto trabalhava, durante a década de 1980.

15 - Nesta antiga fotografia de uma quadrilha junina em Queimadas,
entre outras personalidades já falecidas, podemos encontrar à esquerda,
Rubens, pai do amigo Robinho da internet, e à direita,
Monteirinho, filho do saudoso Antônio Monteiro.

16 - José Pedro da Silva, foi candidato a vereador
em Queimadas em 1982 e em 1988. Em ambas eleições não ganhou,
mas assegurou a primeira suplência nas duas e nesta
condição, foi vereador titular de 1983 a 1992.

17 - Luís Ramos retratista, pai do amigos Kleysom e Klemersom.
Além de fotógrafo profissional, acumulava ainda as funções de Fiscal
da prefeitura, Oficial de Justiça e Comissário de menores
(Juizado de menor, hoje conselho tutelar).

18 - Seu Manoel Belo, um dos barbeiros mais conhecidos e
 queridos do bairro do Castanho, até meados da década de 1990.

19 - Conhecido por Seu Mané Toim, foi um conhecido
barbeiro do centro da cidade.

20 - Nesta fotografia, duas personagens falecidas, bastante queridas
em Queimadas. Pedro Marques caminhoneiro e Duda esportista, um dos
maiores influenciadores do futebol amador em Queimadas.

21 - Dona Isabel, mais conhecida por Raminha, foi uma telefonista,
funcionária da antiga TELPA, em Queimadas, e ainda, educadora
e proprietária do extinto Col. Dinâmico, também em Queimadas.

22 - Seu Vicente Leiteiro e Dona Helena, um casal que deu
origem a uma família bastante conhecida em Queimadas.

23 - Antônio Bento, pai de Zé  Bento eletricista. Foi
um tratorista da prefeitura de Queimadas.

24 - Zé Bento eletricista. Trabalhou também na
prefeitura de Queimadas em outras funções,
como motorista de carro de som.

25 - Adalto Abelha, foi um criador e produtor rural da comunidade dos Angicos.

26 - Conhecido por João da Toyota, este ilustre queimadense fazia
viagens fretadas em seu automóvel Toyota, a limusine do Nordeste.

27 - Seu Biu Raimundo, era pai do vereador Lu e
foi um dos primeiros a ter carro de frete em
Queimadas, desde os anos de 1970.

28 - Seu Zé Pequeno do bar, como era mais conhecido.
Era pai do amigo Érick, que expandiu os negócios
da família na distribuição de bebidas.

29 - Simão Araújo Barbosa de Almeida, conhecido por Simãozinho.
Engenheiro, foi vice prefeito de Queimadas e diretor da Cagepa.

30 - Cícero Cutia, foi um antigo funcionário da prefeitura de
Queimadas, motorista pra ser mais exato.

31 - Seu Vavá, professor de Matemática, lecionou por vários
 anos no Col. Ernestão, em Queimadas.

32 - Fátima Frazão, mãe de Izabella Pajuçara, a professora que
 foi brutalmente assassinada na barbárie de Queimadas.

33 - Nilson do Som, foi um músico queimadense
e um grande propagador da cultura musical,
em toda Queimadas.

34 - Tenente de Lagoão, como era mais conhecido o cidadão queimadense,
José Nelson Gomes. Ele foi eleito para o legislativo municipal em 2012.

35 - Pepê, como era mais conhecido em Queimadas.
Era filho do também saudoso comerciante, Zé Tavares,
da rua João Barbosa da Silva, no Centro.

36 - Ana Paula Evaristo era uma pessoa iluminada, muito prestativa e que,
acima de tudo, demonstrava uma enorme vontade de viver. Lutou até o fim,
enfrentando vários problemas de saúde.

37 - Pedro Ferreira Cabral foi um poeta e violonista queimadense,
residente na comunidade de Malhada Grande. Bastante religioso,
estava sempre ligado às missas e ações da igreja católica.

38 - Dona Nina e Dona Marisa, ambas foram donas de casa, mães
falecidas de dois grandes amigos meus, Estefâneo e Mário Henrique.

39 - Zanone, este meu velho amigo considerava-se um
boêmio queimadense. Era funcionário público e trabalhou
por vários anos como porteiro do Grupo Escolar José Tavares.

40 - Cizinho, músico queimadense que despontou pro
sucesso logo cedo. Um amigo de infância que, muito
cedo foi morar com Deus.

41 -  A última homenageada neste álbum e não menos importante,
Zefa Dentim, como era conhecida por todos em Queimadas. Uma pessoa
bastante popular, devido principalmente à sua alegria, humildade e simplicidade.

        E estes foram os homenageados deste ano. Ano que vem farei um novo álbum, com outros cidadãos queimadenses ilustres. Até a próxima!


terça-feira, 26 de outubro de 2021

VÍDEO-BIOGRAFIA PARA O EDITAL "CIDADE DAS PEDRAS"


         Vídeo-biografia realizada no intuito de participar do edital "Cidade das Pedras", Lei Aldir Blanc, onde faço um resumo biográfico da minha vida e do meu trabalho em prol da cultura queimadense, especialmente na área da literatura de cordel.

O CIDADÃO VOTOU NO BOLSONARO E, NA VOLTA PRA CASA, SOFREU UM ACIDENTE...

       O CIDADÃO VOTOU NO BOLSONARO E, NA VOLTA PRA CASA, NESSE MESMO DIA DA ELEIÇÃO, SOFREU UM ACIDENTE. TRÊS ANOS DEPOIS ELE ACORDA DO COMA E TEM O SEGUINTE DIÁLOGO COM A SUA ESPOSA:

- Adamastor, meu querido. É um milagre! Você está bem, graças a Deus!

- Madalena, o que aconteceu?

- Você não se lembra de nada, Adamastor?

- A última coisa de que me lembro foi ter votado no segundo turno da eleição.

- Isso. Nós sofremos um acidente na volta pra casa, Adamastor. Você estava em coma há três anos.

- Não é possível!

- Sim, meu amor. Mas eu sabia que você iria acordar, mais cedo ou mais tarde.

- Madalena, quanta coisa eu devo ter perdido. Me conta tudo. Onde está o Júnior?

- Tá em casa. Ele vem aqui depois. Você ainda não pode se emocionar demais.

- E meus pais? E a empresa?

- Enfermeira, será que não tá na hora de dar um calmante pra ele?

- Não quero calmante nenhum. Me fala, pelo amor de Deus!

- Tá tudo certo. Com seus pais, a empresa, com tudo. Juro.

- Ah, que bom.

- Agora descansa, tá?

- Madalena, só me responde uma coisa. O mito ganhou a eleição, não ganhou?

- ...

- Que olhar é esse, Madalena? Não me diga que foi o Haddad.

- Não é isso, é que...

- Ah, não é possível. O país deve estar um caos. Quanto está o dólar?

- Quase seis reais, mas...

- Eu sabia. Eu avisei. São ladrões e incompetentes. Sempre foram.

- Adamastor, na verdade o...

- Aposto que o Centrão controla o governo, né?

- Sim, acontece que...

- Tá vendo? Bolsonaro ia acabar com tudo isso. Com certeza a eleição foi fraudada. Eu avisei sobre as urnas eletrônicas.

- Você precisa se acalmar...

- Acalmar? Como? Quero saber de tudo. Como ficou o último PIB?

- Recessão de 4%, mas você tem que entend...

- Pior que a Dilma? Estamos no fundo do fundo do poço.

- Enfermeira, o calmante, por favor.

- Conheço a corja. A tendência é piorar.

- É o que parece, infelizmente. Mas voc...

- E os empresários? Como estão as pequenas e médias empresas? Aqueles desgraçados do PT devem ter arruinado todo mundo...

- Olha, meu bem... milhares já decretaram falência e até a Ford foi embora, só que...

- Minha nossa!!! Então o desemprego e os preços...

- Sim, dispararam como nunca visto no país...um botijão de gás a cem reais, a carne a 40 reais o quilo, a gasolina por 6 reais, um pacote de arroz está 20 reais, mas fique calmo! Você precisa saber que...

- Meu Deus do céu!!! Pelo menos não veio nenhuma calamidade sobre nós, porque sem governo com esses infitetos petistas no poder, imagine o que poderia acontecer de pior, né...por que você tá com essa cara??? Ai, Jesus...fala, mulher! O que foi??? Você está pálida?

- Bem...estamos vivendo uma pandemia mundial de um vírus letal e altamente contagioso. Só no Brasil já morreram mais de 600 mil pessoas, fora as subnotificações. O presidente brincou e menosprezou a doença. Até hoje continua rindo do drama das famílias. Até imitar uma pessoa morrendo ele já fez... Mas o presidente é na verdade...

- Um maldito comunista!!! Foi o que eu sempre falei! Essa gente come criancinhas no almoço!!!

- Meu amor! Se acalme! Você está começando a passar mal!

- Esse miserável desse Haddad! Não foi por falta de avisos!!! Pra ver tudo isso eu preferia nunca ter acordado!!!

- Não chora, amor...calma!

- Não mente pra mim, Madalena. A essa altura o Lula tá livre e o moro virou bandido, não é?

- Como você sabe?

- Jesus! Agora é que essa gente não sai do poder nunca mais. A corrupção venc...

- Adamastor, se acalme...

- E o Bolsonaro nisso tudo, Madalena? Ele está liderando a oposição, não está? Me diga que ele está lutando por nós.

- Enfermeira!!! Traz um sedativo, urgente!!!


                                                                 Material do Whatsapp