quinta-feira, 7 de junho de 2018

A DIFERENÇA ENTRE MACAXEIRA, MANDIOCA E AIPIM













                                         De norte a sul do Brasil, existe uma dúvida bastante comum entre as pessoas que consomem essas raízes. E, de fato, há uma importante diferença entre a macaxeira e a mandioca, uma vez que a mandioca não deve ser cozida e consumida como fazemos com a macaxeira. Sendo assim, vamos esclarecer de uma vez por todas essa questão.
    É certo que os nomes variam de acordo com a região, o que geralmente leva a essa pequena confusão. No entanto, apesar da palavra mandioca ser denominada como uma forma genérica, existe sim, uma diferença significante entre essas raízes. A questão é que esses frutos da terra são parecidos e pertencem à mesma família, sendo que um é venenoso e o outro, não. Façamos, pois, a distinção.
  Nos Estados do Nordeste, por exemplo, encontramos a MACAXEIRA (conhecida em São Paulo pelo nome de mandioca e no Rio de Janeiro, por AIPIM), que é diferente da MANDIOCA por uma razão bem simples.
    Segundo a Embrapa, existem cerca de 250 variedades de mandioca (Manihot esculenta). A sua classificação se baseia no teor de uma substância tóxica que ela possui: o ácido cianídrico. A mandioca-brava ou mandioca-amarga ou simplesmente, mandioca, é rica em ácido cianídrico, mas perde sua toxicidade no processo do cozimento e torrefação. Dessa forma, pode sim ser consumida sem causar a morte, mas para isso, ela precisa passar por vários processos que eliminam todo o ácido nela existente. Com ela são produzidas a farinha e a tapioca. A mandioca é matéria-prima de duas receitas típicas do Pará: com um caldo amarelo extraído da mandioca e cozido por dias, é preparado o tucupi; com suas folhas e carne de porco salgada se prepara a maniçoba.
  Por sua vez, a mandioca-mansa ou mandioca-doce, macaxeira ou aipim, tem as raízes comestíveis, podendo ser consumida cozida de forma comum, frita ou assada (com uma calda doce para o café da manhã ou puro como acompanhamento de carnes). Essa variedade é também utilizada para o preparo de bolos e pudins.
     Em suma, a MACAXEIRA ou AIPIM destina-se ao consumo familiar, enquanto a MANDIOCA (digo, a mandioca brava) é utilizada pelo setor agroindustrial.

    Enfim, se alguém chegar aqui no Nordeste dizendo que quer comer mandioca, pode ser ligeiramente envenenado...
    

                                 Paulo Seixas e conteúdo da Internet



segunda-feira, 14 de maio de 2018

DEZ ATORES BRASILEIROS QUE SE DESTACARAM NO CINEMA MUNDIAL

       Nem só de norte-americanos vive Hollywood. Pelo con- trário: gente de diversas origens são bem-vindas à indústria do entretenimento norte-americano, a maior e a mais dedicada a tantos tipos diferentes de produções. Entre tantas nacionalida- des ali presentes, vários atores e atrizes brasileiras vêm se destacando e ganhando espaço nos EUA.
Confira a lista abaixo na qual mostra dez casos, alguns bem sucedidos, de brasileiros trabalhando no grande cinema americano. Segue na ordem dos mais atuantes.

RODRIGO SANTORO

       A presença de Santoro em Hollywood não é novidade: desde 2003, ele já aparecia descamisado em As Panteras: Detonando e fazia uma pontinha na comédia romântica Simplesmente Amor. Desde então, participou da série Lost, dos filmes Cinturão Vermelho, O Golpista do Ano, Recém Formada e da franquia 300, só para citar alguns exemplos.
      O ator tem investido tanto no cinema americano que todos os seus projetos recentes são gringos, incluindo o faroeste Jane Got a Gun, a refilmagem Ben-Hur, a série Westworld e as biografias Dominion e Pelé: Birth of a Legend.
    Rodrigo Santoro, o galã brasileiro das novelas da Rede Globo, ficou internacionalmente conhecido após interpretar o imperador persa Xerxes I em “300” (Zack Snyder, EUA, 2006). Devido a sua atuação, foi indicado ao prêmio de melhor vilão em 2007 no MTV Movie Awards.

SÔNIA BRAGA

      Sônia Braga estreou no cinema americano em 1988, no filme “Luar sobre Parador”, dirigido por Paul Mazursky. Já em seu primeiro filme estrangeiro, foi indicada ao Globo de Ouro como melhor atriz coadjuvante.
      Posteriormente, atuou em diversos filmes, sendo alguns deles “Rookie - um Profissional do Perigo”, (Clint Eastwood, EUA, 1990), “Um Drink no Inferno 3”, (P.J. Pesce, EUA, 2000), “Baila Comigo” (Randall Miller, EUA, 2005), “Cidade do Silêncio” (Gregory Nava, EUA, 2006) e “Matemática do Amor” (Marilyn Agrelo, EUA, 2010)”.
        A história da brasileira com o cinema de Hollywood já data de quase três décadas. Desde então, ela construiu uma fama considerável, mas aos 67 anos (idade atual), tem recebido menos propostas interessantes.

ALICE BRAGA

       Alice Braga é sobrinha de Sônia Braga. Apesar de ter recebido premiações por suas atuações em filmes nacionais, é mais conhecida no mundo hollywoodiano, sendo a atriz brasileira que mais atuou em produções americanas.
     A atriz de 31 anos é veterana das produções de Hollywood. Estreou no cinema internacional em 2006, no filme “Journey To The End Of The Night” (Eric Eason, EUA, 2006). Ao lado de Will Smith, fez parte do elenco de “Eu Sou a Lenda” (Francis Lawrence, EUA, 2007), além de atuar nos filmes “Cinturão Vermelho” (David Mamet, EUA, 2008), “O Resgate de Órgãos” (Miguel Sapochnik, EUA-Canadá, 2010, “Os Predadores” (Nimród Antal, EUA, 2010), “O Ritual” (Mikael Hafstrom, EUA, 2011) e no filme “Pé na Estrada” (EUA, 2012), dirigido pelo brasileiro Walter Salles.
     Em Elysium, 2013, atua com Matt Damon e Wagner Moura. Ela interpreta ainda uma latina no drama By Way of Helena e tem um papel central na série Queen of the South.

MILTON GONÇALVES

       Milton Gonçalves é um dos veteranos da TV brasileira que talvez poucos saibam que tenha uma passagem pelo cinema internacional. Ele já atuou nos filmes “Kickboxer 3: The Art of War”, “Orquídea Selvagem” e “Luar sobre Parador”.

WAGNER MOURA

       Após o sucesso de “Tropa de Elite 2” (José Padilha, Brasil, 2010), Wagner Moura, o Capitão Nascimento, estreou no cinema hollywoodiano com o longa “Elysium”, dirigido por Neill Blomkamp. O filme traz Matt Damon, Jodie Foster e a atriz brasileira Alice Braga.
       Em 2014 brilhou no Festival de Cinema de Berlim com “Praia do Futuro”, em parte ambientado na capital alemã. O filme chegou a ser indicado ao Urso de Ouro na Berlinale.

GISELE ITIÉ

       Giselle Itié: Em 2010, interpretou Sandra Garza no longa “Os Mercenários 2”, filme de ação estrelado pelo ator Sylvester Stallone. Também está no elenco de “Pé na Estrada” (Walter Salles, EUA, 2012)

FERNANDA MONTENEGRO

       Primeira e única atriz brasileira a concorrer a um Oscar na categoria Melhor Atriz, por sua atuação no filme Central do Brasil, Fernanda Montenegro deu as caras no cinema internacional no filme “O Amor nos Tempos do Cólera”, inspirado na obra homônima do escritor Gabriel García Márquez.

SELTON MELLO

       Selton Mello tem dedicado os últimos anos de sua carreira ao cinema nacional. O convite para atuar em um longa internacional foi questão de tempo para surgir. “Lope”, seu primeiro filme estrangeiro, é uma coprodução entre Brasil e Espanha em que Selton interpreta Marqués de Navas.

MURILO BENÍCIO

       Murilo Benício: Famoso por suas atuações em novelas brasileiras, estreou no cinema americano em 2000. Participou do filme “Sabor da Paixão”, romance dirigido por Fina Torres, no qual fazia par romântico com Penélope Cruz.

JULIANA PAES

       Juliana Paes protagonizou Bed and Breakfast – “Amor por acaso”, primeiro filme dirigido por Márcio Garcia, numa coprodução entre Brasil e Estados Unidos. Em sua estreia no cinema internacional, a brasileira contracenou com Dean Cain e Eric Roberts.



   

quarta-feira, 9 de maio de 2018

SOBRE A BANALIZAÇÃO DA MACONHA...


Como explicar atualmente o uso excessivo de drogas, especialmente da maconha, seja nas ruas, praças, escolas e até no seio familiar, algo que é feito agora de maneira tão espontânea, mesmo nas pequenas cidades? Situação esta que não se via há 20, 30 anos atrás, não tão abertamente e dessa maneira, havendo um certo “pudor” por parte dos usuários.
      Antigamente a maconha era uma droga que só se adquiria e se fumava em festas reservadas, ou em ambientes fechados, onde raramente alguém de fora sentia o cheiro da fumaça. Hoje vemos crianças de 10 anos de idade fumando um baseado como se fosse a coisa mais natural desse mundo. Seria uma fuga da realidade? Um apoio, um "alicerce moral", uma forma errônea de encarar as dificuldades dessa vida? Paralelo a isso, a violência que se instala no país só aumenta e cresce a cada dia que passa, seja por parte de quem trafica, como também por quem utiliza a droga para fins obscuros.
      Utilizações medicinais à parte, fica até difícil generalizar os efeitos da maconha, pois se um vagabundo faz uso dessa erva, certamente só vai praticar o que não presta. Por outro lado, quando John Lennon fumava um cigarrinho do capeta, a sua inspiração pra compor só aumentava...
      E aí, o que mais pode se dizer sobre essa realidade?

domingo, 29 de abril de 2018

UMA NOVA VERSÃO PARA O HINO NACIONAL - por Rafael Melo

       Com a comoção da morte da vereadora carioca do PSOL, Marielle Franco, pessoas de todo o Brasil fizeram suas manifestações e críticas sobre o ocorrido. Acompanhem abaixo uma paródia do nosso hino nacional, composta pelo Jornalista campinense, Rafael Melo, onde ele traça um perfil de lutas da vereadora assassinada, além de fazer uma crítica ferrenha ao sistema dominante no país. 

"Nosso Hino Nacional não representa nossa realidade. Este sim:

Marielle Franco falou com franqueza e foi levada à força à forca...

Ouviram da Maré nas ruas “plácidas”
De uma moça heroica o choro retumbante
E o Psol da liberdade, em raios fúlgidos
Cessou no céu da pátria nesse instante

Se o penhor da liberdade
Conseguiram derrubar com braço forte
Em teu seio, promiscuidade
Sentencia o nosso povo a própria morte!

Ó pátria armada
Hierarquizada
Alguém nos salve!

Brasil, um opressor sistema ríspido
De bala e cassetete à Maré desce
Se o teu governo escroto e muito vívido
A divisão de classes fortalece

Gigante pela própria esperteza
És forte, és bruto, impávido colosso
Se tu ainda bate e sai ilesa

Injustiçada
Entre outras mil
És tu, Brasil
A mais malvada!
Dos filhos deste solo tu traiu
Pátria armada
Partiu!

Deitado eternamente em berço esplêndido
Com a Justiça em sono tão profundo
Comemora o congresso de políticos
Na escuridão de um mundo tão imundo!

Do que a gente mais sofrida
Teus risonhos cidadãos sofrem de dores
"Seus banquetes têm mais vida"
"Nossa vida" na Maré tem "mais horrores"

Ó pátria armada
Hierarquizada
Alguém nos salve!

Brasil, de resistência seja símbolo
Do bárbaro que ostentas maculado
Marielle e Anderson são o presente
Mas no futuro mortes no passado

Mas, se ergues da justiça a farsa forte
Verás que um filho teu não foge à luta
Nem Temer que deseja a nossa morte

Encomendada
Entre outras mil
És tu, Brasil
A mais malvada!

Dos filhos deste solo tu traiu
Pátria armada
Partiu!"

                                     por Rafael Melo, Poeta e Jornalista

sexta-feira, 20 de abril de 2018

CURIOSIDADES SOBRE A OBRA MUSICAL DE RAUL SEIXAS - Canções Inéditas


     Raul Seixas é considerado um dos maiores artistas brasileiros do século XX. Um dos pioneiros ao propagar o Rock’in Roll no país ainda na década de 1960, influenciado, principalmente, pelos sons e ritmos de Elvis Presley, seu ídolo maior.
     A sua obra musical, de tão autêntica e persistente, continuou a ser propagada mesmo após sua morte precoce, em agosto de 1989. Seja de maneira póstuma, Raul sempre é lembrado em eventos alusivos ao seu nascimento e morte, os quais geralmente trazem a tona alguma novidade.
        A exemplo de grandes artistas mundiais, Raul Seixas tinha muito que oferecer a seu público em termos musicais, ainda por bastante tempo. Tanto é que deixou várias músicas inéditas, gravadas ou não (algumas delas, censuradas pela ditadura militar), muito material de inúmeros shows ao vivo, além de muita gravação do tipo “sobra de estúdio”.
       Para deleite de seus fãs, desde 1992 já foram lançados, pelo menos, cinco discos inéditos de Raul, evidenciando assim, um repertório musical sempre vivo do Maluco Beleza.
       Confiram abaixo três canções originais de Raul Seixas, três letras musicais levadas ao conhecimento do público somente após a sua morte.


                            FAÇA, FUCE, FORCE (1973)

Faça, fuce, force mas
Não fique na fossa.
Faça, fuce, force mas
Não chore na porta.

Faça, fuce, force vá
Derrube esta porta,
Trace, fuce, force vá
Que essa chave é torta.

Os meus fantasmas são incríveis,
fantásticos, extraordinários.
Se fantasiam de Al Capone nas noites
que tenho medo de gangsters.
Abusam de minha tendência mística,
sempre que possível...
Os meus fantasmas tornaram
a minha solidão um vício.
E minha solução um status quo.

Faça, Fuce, Force mas
Não fique na fossa.
Faça, Fuce, Force mas
Não chore na porta.

Faça, Fuce, Force vá
Derrube esta porta.
Trace, fuce, force vá
Que essa chave é torta.

Feliz por saber que só sei que não sei
Que quem sabe não fala, não diz.
Vida, alguma coisa acontece.
Morte, alguma coisa pode acontecer.
Que o mel é doce, é coisa de que me nego afirmar.
Mas que parece doce, isso eu afirmo plenamente.

Faça, fuce, force...

Faça, fuce, force...


                               SOU O QUE SOU (1978)

Sou o que sou
Sem mentiras pra mim,
Se você quer chegar me aceite assim,
Pois o fato é que eu sou
E não vou me negar.

Meu sangue é seu vinho
Sua carne meu corpo
Não vou me esgotar.
Mas quero de volta
Meu troco
É você ter que me aturar.

Ei, eu estou aqui bem diante de você
Em qualquer homem você há de me ver.
Ei, eu estou aqui bem diante de você
Em qualquer homem você pode me ver

Sou feito da terra
De ouro, de prata
Da lama do chão.
Mais forte que ontem,
Orgasmo do sonho
Da continuação.

Ei, eu estou aqui diante de você
Em qualquer homem você há de me ver.
Ei, eu estou aqui bem diante de você
Em qualquer homem você há de me ver.


O SENHOR DA GUERRA (1988)

Muito prazer, eu sou o senhor da guerra
Eu vou lhes dizer o que a guerra encerra.
Abra os olhos, vê se presta atenção,
Atenção!
Atenção!

A guerra traz um pouco de ação
Evita a super-população,
É dinheiro pra quem sabe ganhar
E isso faz o mundo girar.
Aquele que luta pela paz
Aposto que ainda não sabe a besteira que faz.

Pois guerra é guerra
Que sacode a nossa terra,
Quem se vira aqui se ferra.
O negócio é se dar bem
Se a barra pesa
O escarola entra na reza,
Bom gorila que se presa
Não dá bola pra ninguém.

Muito prazer eu sou o senhor da guerra
E vou lhes dizer o que a guerra encerra.
Abra os olhos, vê se presta atenção
Atenção!
Atenção!

O negócio é ter o mundo na mão
É lança, arco e flecha ou canhão.
Agora nosso pique é total
Terceira estrela no sideral,
E o velho Halley que se cuide
Ou pegue o rabo e se mude.

Pois guerra é guerra
Que sacode a nossa terra,
Quem se vira aqui se ferra.
O negócio é se dar bem
Se a barra pesa
O escarola entra na reza,
Bom gorila que se presa
Não dá bola pra ninguém...



segunda-feira, 16 de abril de 2018

GINCANA CORPORAL/ BRINCANDO DE MÍMICA - Tutorial


Uma dinâmica bem antiga, posso acrescentar ainda que é um ótimo passatempo para crianças de até doze anos de idade, no máximo. Não busco afirmar aqui que sou o autor desta brincadeira, porém, tive a liberdade de adaptá-la e acrescentar algumas regrinhas para um melhor rendimento. Pode ser aplicada em casa, na escola, na rua, em qualquer lugar. Pra não tumultuar, selecionar um número limite, entre cinco e dez meninos/meninas.
Consiste basicamente em colocar a criançada para "interpretar" os nomes abaixo, através de gestos e expressões corporais, sem utilizar qualquer tipo de som. Uma por vez, elas terão que fazer com que as demais adivinhem a pessoa, coisa, sentimento ou ação designada pela palavra em questão. Fica terminantemente proibido falar ou fazer uso de objetos para tentar explicar o que se propõe. Somente através de gestos.
Para um melhor desempenho da brincadeira, segue uma lista de sugestões abaixo.

ASTRONAUTA
SENTIR FRIO
BAILARINA
BÊBADO
TOP MODEL
MACACO
ESTÁTUA
ADMIRAÇÃO
TOMAR UM TIRO
COBRAR UM PÊNALTI
PINTOR DE PAREDE
SENTIR DOR
REZANDO
IDOSO
PIANISTA
CANGURU
TOMAR SORVETE
JOGAR BASQUETE
ARCO E FLECHA
SENTIR MEDO
CANTOR
CEGO
SANFONA
MOTOCICLETA
TOURO BRAVO
JOGAR GOLF
CHAVE DE FENDA
JOGAR SINUCA
SERROTE
VIOLINO
SURFISTA
PAPAI NOEL
JOGAR PIÃO
SERPENTE
PESCADOR
LOUCO
ESTILINGUE
BEBÊ CHORANDO
SOLTAR BOMBINHA
COMER MACARRÃO
TOMAR CHOQUE
TRISTEZA
LUNETA
PINGUIM
ALEIJADO
CHICOTE
FAZER COCÔ
JOGAR CAPOEIRA
SENTIR RAIVA
FAZER BARBA

terça-feira, 10 de abril de 2018

LULA, LADRÃO, ROUBOU MEU CORAÇÃO!!!


    O desencanto dos brasileiros com a classe política é tamanho, sobretudo com políticos oportunistas, que muitos eleitores preferem apostar seu voto num pré candidato à presidência da república já condenado, a ter que votar em candidatos ficha limpa que não inspiram qualquer confiança caso venham a ser eleitos.
       Aliás, há de se convir que nenhum deles inspire confiança, uma vez que chegando ao poder, naturalmente vai seguir a mesma cartilha do sistema corrupto que impera neste país. E é sempre a mesma coisa a cada eleição, as mesmas promessas e mentiras que nunca se cumprem, pra desespero dos mais necessitados. Este é, portanto, o cenário da nossa política atual, não restando muitas opções para o eleitor mais consciente.     
       Vendo por esse ângulo, essa é a explicação racional para que o ex presidente Lula esteja disparado em todas as pesquisas de opinião que visam as próximas eleições presidenciais, em 07 de outubro. Grande parte dos eleitores brasileiros querem Lula novamente pelo simples fato de já conhecerem seu sistema de governo. Durante oito anos, Lula governou o Brasil pensando no pobre, visando mais igualdade econômica e direitos para todos, contrariando assim, as altas classes e os interesses de muitos políticos, ricos e empresários. Ele sabe melhor do que ninguém que a pobreza neste país sempre foi maioria e é justamente essa massa que comparece às urnas e vota em troco do que recebeu, em sinal de agradecimento.
      Dessa forma, fica quase inevitável o pensamento de muitos (não só de nordestinos, como dizem) ao concluírem que, se Lula realmente roubou enquanto político, roubou menos do que fez pra população mais pobre deste país. É um pensamento antiético, chegando a ser até irônico, mas quem vai tirar a razão desse povo?       
     Lula não é e nunca foi completamente inocente nesse processo. No entanto, há casos de corrupção bem maiores neste país e que nunca foram julgados com a severidade e com a pressa que fora os crimes cometidos por Lula. Na falta de provas mais consistentes, conseguiram condená-lo até na base das “convicções políticas”.
     Misturam-se aqui perseguições políticas e partidárias, interesses empresariais, bem como todo um sistema que foi desafiado e que se sente ameaçado, onde o intuito maior é vetarem a candidatura vitoriosa de Lula nas próximas eleições. Com a negação do Habeas Corpus ontem, pelos Ministros do STJ, e com a prisão já definida e consumada de Lula, agora não há mais como negar o fato de que conseguiram, enfim, tirá-lo da corrida presidencial.

      (Texto simplório de alguém que compreende pouco sobre política, entretanto, conhece algo acerca de razão, confiança e justiça. Paulo Seixas)