quarta-feira, 16 de agosto de 2017

MEU SONETO MAIS RECENTE

Pra quem servir a carapuça...


SONETO DO AMOR $REAL

O que restou daquele inusitado amor,
O qual somente eu pensava que havia,
Foi uma frustração que, no dia a dia, 
Transformou meu sentimento em dor.

Não se ama alguém em troca de favor.
No entanto, algo bem pior me acontecia.
Pois o que ela me dava ou me prometia,
Cobrava sempre o seu preço, o seu valor.

Um dia ainda terei um amor verdadeiro
Que não vise apenas status, ou dinheiro,
E que mereça toda a minha dedicação.

Uma mulher que me ame por inteiro,
Sem demonstrar esse lado interesseiro.
Juntos, partilharemos um só coração.     
                                Paulo Seixas, julho/2017
    
  
                      ENSINA-ME A SER FRIO ASSIM...

"Ensina-me a ser frio assim. A olhar com esse desprezo, a não falhar a voz, não tremer. Me ensina a te olhar como se você não tivesse sido alguém importante pra mim. A não procurar, não admitir que dói, que foi importante. Conta-me como é que você faz pra jogar no lixo um amor tão bonito e tão difícil de se encontrar por aí. Me dá um pouco dessa coragem de ir embora, de ser covarde, de bater a porta na minha cara. Você dorme bem? Eu não. Fico levando o peso de ser assim, sentimental. De acreditar que o amor tem conserto. De não desistir daquilo que acredita. Ah, vai, me diz o que você faz pra viver como se a gente fosse nada. E essa indiferença na voz? Me diz, eu imploro, como não sentir tanto. Não sangrar tanto. Me diz como você teve coragem de ser tão cruel com a gente. Admita o motivo de ainda me assombrar, como um fantasma que não quer ficar, mas se recusa a sumir de uma vez. Por último, eu te peço, me ensina a não amar tanto. A não me entregar tanto na próxima vez. A pular do barco quando houver sinais de naufrágio. Talvez assim eu sinta menos. Talvez até eu sangre menos. Talvez não tenha mais que escrever um texto triste assim..."

O texto acima é de autoria de Lazaro Rethielly, um colega que, assim como eu, também publica seus escritos no site Recanto das Letras.

No dia 08 de outubro próximo, estarei publicando um texto inédito em “comemoração” de um ano do fatídico dia. O dia em que eu fui humilhado, menosprezado e tremendamente diminuído no amor que sentia por uma mulher, situação esta que me fez sofrer bastante, por pouco não me fazendo cair em depressão. MEUS AMORES PLATÔNICOS E PAIXÕES DOENTIAS, aguardem...


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

GINCANA CULTURAL RAUL SEIXAS - Material inédito

GINCANA CULTURAL RAUL SEIXAS/
                           MATERIAL AINDA INÉDITO

   COM PROVAS INDIVIDUAIS E/OU EM DUPLAS, OBEDECENDO ALGUNS CRITÉRIOS E REGRAS PREVIAMENTE ESTABELECIDOS. OS TESTES DEVERÃO SER REALIZADOS E JULGADOS POR ORDEM DE TEMPO OU DO CUMPRIMENTO INTEGRAL DOS MESMOS, UMA VEZ QUE CADA PROVA SERÁ AVALIADA DE ACORDO COM SUA PECULIARIDADE.

     1ª PROVA: REDAÇÃO (trazer pronta, como uma espécie de SENHA)
  Fazer uma pequena redação manuscrita, um texto dissertativo de, no mínimo, 25 linhas. Tema: O MITO RAUL SEIXAS.
     Desenvolver as ideias argumentando sobre quem foi Raul Seixas, com base em sua biografia, seu legado musical, suas particularidades e acima de tudo, no que ele representa hoje para a música brasileira.
   O critério utilizado para avaliação será unicamente a originalidade do texto, que poderá receber uma pontuação básica de 5 a 10 pontos.
     Não esquecer de colocar um título.

 2ª PROVA: QUESTIONÁRIO BIOGRÁFICO COM ALTERNATIVAS E MAIS TRÊS QUESTÕES ABERTAS. O TEMPO AQUI DETERMINADO PARA O CUMPRIMENTO DESTA PROVA SERÁ DE VINTE MINUTOS.

  3ª PROVA: Circular entre 56 músicas, 8 canções pertencentes à discografia de Raul seixas, distribuídas de forma aleatória. Encontram-se ainda nesta relação músicas de artistas como Roberto Carlos, Zé Ramalho, Legião Urbana, Titãs, Gabriel o pensador e Pe Zezinho (São 8 canções de cada).
     Tempo regulamentado em 10 minutos para o cumprimento desta prova.

     4ª PROVA: GRAFITE
     >>>Grafitar no papel o nome Raul Seixas, de forma que ocupe uma boa parte da folha (por conta da criatividade). Tempo: 10 minutos.
     Assim como na redação, a pontuação aplicada ficará entre 5 e 10 pontos.
                         RAUL  SEIXAS

     5ª PROVA: CRUZADINHA
     Uma cruzadinha com o nome RAUL SEIXAS representado na palavra chave. São dez nomes de músicas a serem preenchidos mediante as dicas oferecidas.
     Tempo de 10 minutos para que seja concluída essa prova.

     6ª PROVA: CAÇA-PALAVRAS
     As expressões ocultas neste caça-palavras são nomes de músicas de Raul Seixas, e se encontram tanto na horizontal, como na vertical e ainda na diagonal.
   Tempo estabelecido em 10 minutos para o seu cumprimento.

     7ª PROVA: CD’S OFICIAIS E COLETÂNEAS
     Procurar ordenar os doze Cd’s em questão, de forma que fiquem apontados os que são oficiais de carreira e aqueles que são apenas coletâneas, trazendo os maiores sucessos do artista. A sequência indicada pelo participante deverá ser anotada abaixo da folha e, logo em seguida, entregue ao mediador da prova.
    Serão apenas cinco minutos para esse teste, já que ele será realizado doze vezes seguidas, por cada um dos participantes ou duplas.
    
     OS CD’S, INICIALMENTE, FICARÃO EXPOSTOS DESSA MANEIRA:

RAUL SEIXAS – PERSONALIDADE     AS PROFECIAS
NOVO AEON                                         RAUL ROCK SEIXAS 2
MALUCO BELEZA (pele)                      SEGREDO DO UNIVERSO
OS 24 MAIORES SUCESSOS DA ERA... CAMINHOS
DOCUMENTO                                        A PEDRA DO GÊNESIS
CAROÇO DE MANGA                           METRÔ LINHA 743

     8ª PROVA: Apresentar um disco (vinil) de Raul Seixas, de qualquer ano, de preferência que venha acompanhado do seu proprietário.
     Em 15 minutos.

    9ª PROVA: UMA DICA SOBRE CADA DISCO DE RAUL SEIXAS.
    Para cada um dos 21 discos oficiais de Raul Seixas, associar uma dica que será oferecida, um traço ou característica que possa vir identificá-lo.
     TEMPO DE 15 MINUTOS PARA A CONCLUSÃO DESTA PROVA.

  10ª PROVA: COMPLETAR PENSAMENTOS DE RAUL SEIXAS
     O tempo estipulado para esta prova é de 10 minutos.

     11ª PROVA: OS MAIORES SUCESSOS DE RAUL SEIXAS E SUAS RESPECTIVAS DATAS.
     Fazer a correspondência entre as músicas e os anos em que foram lançadas.
     TEMPO DE 5 MINUTOS PARA A CONCLUSÃO DESTA PROVA.

     12ª PROVA: DESENHO
     >>>CRIAR UM DESENHO QUE REPRESENTE A FIGURA E A PERFORMANCE DE RAUL SEIXAS, COM DIREITO À BARBA, ÓCULOS ESCUROS E O SEU VIOLÃO. PODENDO, INCLUSIVE, SER UMA CARICATURA, COM DETALHES BASTANTE EXPRESSIVOS.
   MAIS UMA PROVA RELACIONADA COM A CRIATIVIDADE.
      Tempo estipulado em 10 minutos para o desenvolvimento desta prova.

     13ª PROVA: Providenciar uma pessoa de fora, alguém que se chame RAUL e que possa prová-lo, com a apresentação da carteira de identidade.
   PELO GRAU DE DIFICULDADE, O TEMPO LIMITE DETERMINADO PARA O CUMPRIMENTO DESTA PROVA SERÁ DE VINTE MINUTOS.

     14ª PROVA: UM RAUL ECLÉTICO
     Associar o gênero, o subgênero, como também o estilo musical à sua respectiva música, uma vez que Raul Seixas gravou canções em várias modalidades e ritmos, atendendo a todos os gostos.
   TEMPO DE 5 MINUTOS PARA O TÉRMINO DESTA PROVA.

     15ª PROVA: Elaborar a maior relação possível, uma lista, utilizando nomes de músicas de Raul Seixas, rememorando tudo o que já fora visto até então. Procurar escrever com letra de fôrma para que se tenha uma melhor compreensão do que foi dito.
     IMPORTANTE: O tempo determinado para esta prova será exatamente de 10 minutos. Ao término desse tempo, todos deverão parar e entregar suas folhas para que se inicie a correção.

    16ª PROVA: Convidar alguém de fora que saiba tocar violão, o suficiente para que toque, pelo menos, um trechinho de alguma música de Raul Seixas. Se possível, poderá também cantar para os demais ouvirem.
   PARA ESTA PROVA, O TEMPO PRA TRAZER O “ARTISTA” SERÁ LIMITADO EM 15 MINUTOS. A APRESENTAÇÃO SERÁ DE FORMA E TEMPO ESPONTÂNEO.

     17ª PROVA: PROVA FINAL E ESPECIAL, sugerida pela amiga Magnóllya Germanna.
     Recolher o máximo possível de alimentos para que sejam transformados em uma cesta básica, a qual será entregue posteriormente a uma família carente.
     TEMPO ESTABELECIDO EM 20 MINUTOS PARA ESTA PROVA.

.....................................................................................................

     O material de apoio e que complementa essa gincana, encontra-se arquivado, aguardando uma oportunidade de ser colocado em prática.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

CORDEL - ZOLIMPIADAS DO SERTÃO


"ZOLIMPIADAS DO SERTÃO"

Viva o povo culto, criativo e lutador do semiárido!

Sonhei com as Zolimpíadas
Chegando no meu sertão,
Foi o maior espetáculo
Que se viu na região.
Tinha gente que só a peste
Lá das brenhas do Nordeste
Chegando de caminhão.
                 
No desfile de abertura
A bandeira nordestina
Toda feita de retalhos
Pelas mãos de Severina.
E eu ali, de camarote
O bode virou mascote
A tocha era a lamparina.

A nossa delegação
Para conquistar os louros
Desfilou de guarda-peito
Gibão e chapéu de couro.
E enfrentando a batalha
Conquistou muitas medalhas
De bronze, de prata e ouro.

Quem carregou a bandeira
Foi Ritinha de Zé Bento,
Já a pira foi acesa
Por Tonin de Livramento.
Nosso atleta principal
E recordista mundial
Do hipismo de jumento.

Antes das competições
Um lanche bem reforçado
Com buchada, cajuína,
Rapadura e milho assado.
Fava verde com galinha,
Sarapatel com farinha,
Angu com bode guisado.

Nas águas do Velho Chico
As provas de natação,
Os pulos ornamentais
De cima de um paredão.
Ginástica num terreiro,
Remo e vela num barreiro
E judô num palhoção.

A maratona, seu moço,
Era por nossas estradas.
Atravessando os riachos
Nas veredas, nas quebradas
Da paisagem nordestina,
Ao som do galo-campina
E da patativa golada.

Na competição de tiro
Os velhos de bacamarte,
Pé-de-bode, granadeira,
Vestimenta de zuarte.
E davam cada pipoco
Do sujeito ficar môco,
De se ouvir em toda parte.

A prova de atletismo
Conhecida por carreira
De cem e duzentas léguas
Com barreira e sem barreira,
Foi por dentro do cercado,
Atravessando um roçado
Pelo meio das capoeira.

Os saltos, lá no sertão
Eram provas de “pinote,”
De riba de uma barreira
Num pedaço de caixote.
O cabra de lá pulava
Num açude tibungava,
Caindo feito um caçote.

O jogo de futebol
Se jogava sem chuteira
Num campo de chão batido
No alto de uma ribanceira.
As traves de barandão,
O campo sem marcação,
No calor e na poeira.

Levantamento de peso
Quem ganhou foi Sebastião.
Cinco sacos de Farinha,
Três arrobas de algodão.
Com esse peso todinho
Ele se ajudou sozinho
E se sagrou campeão.

O arremesso de pedra
Quem ganhou foi Expedito,
No tiro com baladeira
Carmelita fez bonito.
E já na queda de braço
O ouro foi pra Inácio
E a prata pra Benedito.

Fizeram de três batentes
Pódio pra premiação,
Uns ramos de onze horas
Era a coroação.
E numa latada de lona
Asa Branca na sanfona
Completava a emoção.

E assim eu me acordei
Com orgulho do Sertão,
Desse povo vencedor
De tão grande coração.
De história tão sofrida,
Que nas batalhas da vida
Nasceu pra ser campeão.



        Edson Francisco, cordelista de Gravatá/Pernambuco.


domingo, 23 de julho de 2017

AS 100 MELHORES FRASES E PENSAMENTOS DE RAUL SEIXAS

AS 100 MELHORES FRASES E PENSAMENTOS DE RAUL SEIXAS


- “Sou escritor por excelência, ator por desejo e compositor por raiva.” (RAUL SEIXAS)

- "O ódio não é o real. É a ausência do amor.” (RAUL SEIXAS)

- “... Viver é ser feliz e mais nada!” (RAUL SEIXAS)

- “Amor só dura em liberdade, o ciúme é só vaidade.” (RAUL SEIXAS)

- “É necessário haver o sim para poder haver o não." (RAUL SEIXAS)

- “Sou poeta de parede.” (RAUL SEIXAS)

- “Se você acha que não está dentro da sociedade alternativa, é porque a sociedade alternativa sempre esteve dentro de você.” (RAUL SEIXAS)

- “Ninguém morre. As pessoas despertam do sonho da vida.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.” (RAUL SEIXAS)

- “O meu egoísmo é tão egoísta que o auge do meu egoísmo é querer ajudar.” (RAUL SEIXAS)

- “Antes de ler o livro que o guru lhe deu, você tem que escrever o seu.” (RAUL SEIXAS)

- “O homem é o único ser que tem o poder de modificar as coisas.” (RAUL SEIXAS)

- “A desobediência é uma virtude necessária à criatividade.” (RAUL SEIXAS)

- “O universo me espanta e não posso imaginar que este relógio exista e não tenha um relojoeiro.” (RAUL SEIXAS FILOSOFANDO SHAKESPEARE)

- “A arte é o espelho social de uma época.” (RAUL SEIXAS)

- “Não sou cantor nem compositor. Uso a música para dizer o que penso.”  (RAUL SEIXAS)

- “Nunca se vence uma guerra lutando sozinho.” (RAUL SEIXAS)

- “Nada é eterno, mas algumas coisas permanecem.” (RAUL SEIXAS)

- “Não sei onde eu tou indo, mas sei que tou no meu caminho.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu sou tão bom ator que finjo que sou cantor e compositor e todo mundo acredita.” (RAUL SEIXAS)

- “Sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade.” (RAUL SEIXAS)

- “A justiça que você procura é sua força de achá-la.” (RAUL SEIXAS)

- “Luar é meu nome aos avessos, não tem fim nem começo.” (RAUL SEIXAS)

- “Que capacidade impiedosa essa minha de fingir ser normal o tempo todo.” (RAUL SEIXAS)

- “... e quão longa é a noite, a noite eterna do tempo, se comparada ao curto sonho da vida.” (RAUL SEIXAS)

- “Do materialismo ao espiritualismo é uma simples questão de esperar esgotarem-se os limites do primeiro.” (RAUL SEIXAS)

- “De que o mel é doce é coisa que me nego a afirmar, mas que parece doce eu afirmo plenamente.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu sei que o mais puro gosto do mel é apenas defeito do fel, e que a guerra é produto da paz.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu sou a luz das estrelas, eu sou a cor do luar,
eu sou as coisas da vida, eu sou o medo de amar.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu nunca cometo pequenos erros, enquanto eu posso causar terremotos.” (RAUL SEIXAS)

- “Quando se quer entrar num buraco de rato, de rato você tem que   transar.” (RAUL SEIXAS)

- “Para ser feliz é só olhar as coisas como elas são, sem permitir da gente uma falsa conclusão. E seguir somente a voz do seu coração.” (RAUL SEIXAS)

- “Ter o poder é ter o poder de quê? Sobre o quê? Ter o controle de quê? De uma ideia, seus filhos da p...!” (RAUL SEIXAS)

- “Veja, não diga que a canção está perdida, tenha fé em Deus, tenha fé na vida, tente outra vez!” (RAUL SEIXAS)

- “Já me borrei de tanto rir ouvindo o infinito sendo explicado. Se sendo é um verbo, prefiro ficar sendo calado.” (RAUL SEIXAS)

- “Todos os partidos são variantes do absolutismo. Não fundaremos mais partidos; o Estado é seu estado de espírito.” (RAUL SEIXAS)

- "Para todo pecado sempre existe um perdão.” (RAUL SEIXAS)

- “... porque, quando eu jurei meu amor, eu traí a mim mesmo. Hoje eu sei que ninguém nesse mundo é feliz tendo amado uma vez.” (RAUL SEIXAS)

- “O serviço militar obrigatório é o último estágio da violência que o governo utiliza para manter íntegra a estrutura do poder. E é o limite extremo a que pode chegar a submissão humana.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu tou fazendo o meu caminho, não peço que me sigam. Cada um faz o que pode, os homens passam e as músicas ficam.” (RAUL SEIXAS)

- “... eu vou, sempre avante no nada infinito, flamejando o meu rock e o meu grito, minha espada é a guitarra na mão!” (RAUL SEIXAS)

- “Vida... alguma coisa acontece. Morte... alguma coisa pode acontecer!” (RAUL SEIXAS)

- “Queira, basta ser sincero e desejar profundo, você será capaz de sacudir o mundo, tente outra vez!” (RAUL SEIXAS)

- "Eu sou astrólogo, vocês precisam acreditar em mim. Eu sou astrólogo e conheço história do princípio ao fim.” (RAUL SEIXAS)

- “Todo homem e toda mulher é uma estrela!” (RAUL SEIXAS)

- “Deus é aquilo que me falta para compreender o que ainda não compreendo.” (RAUL SEIXAS)

- “Segure a minha mão quando ela fraquejar, e não deixe a solidão me assustar.” (RAUL SEIXAS)

- “Nunca é tarde demais para começar tudo de novo.” (RAUL SEIXAS)

- “... enquanto eu provo sempre o vinagre e o vinho, eu quero é ter tentação no caminho, pois o homem é o exercício que faz!” (RAUL SEIXAS)

- “É necessário seguir e acreditar em alguma coisa que possa acalmar o absurdo da vida.” (RAUL SEIXAS)

- “Quero ter a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na loucura, acabará sábio.” (RAUL SEIXAS)

- “No fundo, o sapato e a canção têm o mesmo valor para o homem, só que atendem a necessidades diversas.” (RAUL SEIXAS)

- “Ninguém é igual; cada homem e cada mulher é uma estrela girando em sua própria órbita.” (RAUL SEIXAS)

- “Ri melhor quem ri mais alto.” (RAUL SEIXAS)

- “Desejo pegar um disco voador e ir embora. Enquanto isso continuo a fazer careta no espelho.” (RAUL SEIXAS)

- “Tinha mania de pensar que era maluco e ninguém queria me dizer.” (RAUL SEIXAS)
                                                         
- “... que pra passar a noite na cocheira tem que ter o mesmo cheiro do cavalo pra não incomodar.” (RAUL SEIXAS)

- "Esse caminho que eu mesmo escolhi é tão fácil seguir, por não ter aonde ir.” (RAUL SEIXAS)

- “Quando eu cair no chão, segura a minha mão, me ajuda a levantar para lutar.” (RAUL SEIXAS)

- “O que eu quero eu vou conseguir!” (RAUL SEIXAS)

- “Coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz. Coragem que eu sei que você pode mais.” (RAUL SEIXAS)

- “É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro.” (RAUL SEIXAS)

- “Do passado eu me esqueci, no presente eu me perdi. Se chamarem diga que eu saí.” (RAUL SEIXAS)

- “Feliz é aquele que o mundo não viu e a maldade sentiu.” (RAUL SEIXAS)

- “Dentro do mambo e da consciência está o segredo do universo.” (RAUL SEIXAS)

- “Está lançada aqui a semente, a semente de uma nova idade da qual vocês todos são testemunhas!” (RAUL SEIXAS)

- “Fiz meu rumo por essa terra entre o fogo que o amor consome. Eu lutei, mas perdi a guerra. Eu só posso te dar meu nome.” (RAUL SEIXAS)

- “Está em qualquer profecia que o mundo se acaba um dia.” (RAUL SEIXAS)

- “... e ele falou simplesmente, destino é a gente que faz. Quem faz o destino é a gente na mente de quem for capaz.” (O MESSIAS INDECISO - RAUL SEIXAS)

- “A lei de Thelema, a lei do forte, essa é a nossa lei e a alegria do mundo!” (RAUL SEIXAS)

- “Rock pra mim não é só ritmo, uma dança. É todo um jeito de falar, de andar, de sorrir, vestir, estalar os dedos, namorar.” (RAUL SEIXAS)

- “Tudo tem exatamente a mesma importância. A mesmíssima importância, ou seja, nenhuma.” (RAUL SEIXAS)

- “O amor é uma coisa real que a gente nunca deve esquecer.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu tinha medo de ver a beleza da simplicidade, nunca falava eu te amo com medo de alguém me gozar...” (RAUL SEIXAS)

- “Rock’n Roll não se aprende nem se ensina.” (RAUL SEIXAS)

- “... pra consciência é que eu não posso mentir, pois meu travesseiro não me deixa dormir.” (RAUL SEIXAS)

- “O amor tem sempre a porta aberta.” (RAUL SEIXAS)

- “Viver é coisa irreal, uns chamam de magia e é tudo tão normal.” (RAUL SEIXAS)

- “Eu não preciso ler jornais, mentir sozinho eu sou capaz.” (RAUL SEIXAS)

- “... se aconteço se deve ao fato de eu simplesmente ser.” (RAUL SEIXAS)

- “... não tem certo nem errado, todo mundo tem razão. E que o ponto de vista é que é o ponto da questão.” (RAUL SEIXAS)

- “A dor é uma coisa real que a gente está aprendendo a abraçar.” (RAUL SEIXAS)

- “Deixe os que sonham em ser felizes habitando o paraíso.” (RAUL SEIXAS)

- “... minha esperança, sonho de um sonhador!” (RAUL SEIXAS)

- “Baby, hoje ‘cê’ faz treze anos, vejo em seus olhos os seus planos...” (RAUL SEIXAS)

- “Somos prisioneiros da vida e temos que suportá-la até que o último viaduto nos invada pela boca adentro e viaje eternamente em nossos corpos.” (RAUL SEIXAS)

- “Ninguém aqui quer chegar a uma verdade absoluta e impô-la. Apenas se quer abrir as portas para as verdades individuais.” (RAUL SEIXAS)

Conserve seu medo, mas sempre ficando sem medo de nada. Porque dessa vida de qualquer maneira não se leva nada. (RAUL SEIXAS)

- “Eu não trago respostas. Canto minha saída, mostrando que todos podem sair pelas próprias portas.” (RAUL SEIXAS)

- “Ninguém tem o direito de me julgar a não ser eu mesmo. Eu me pertenço e de mim faço o que bem entender.” (RAUL SEIXAS)

- “A saudade é um parafuso
Que quando a rosca cai,
Só entra se for torcendo
Porque batendo não vai.
Mas quando enferruja dentro
Nem distorcendo não sai.”

(Sextilha do poeta Antônio Pereira de Moraes atribuída a RAUL SEIXAS)

- “A coisa mais penosa do nosso tempo é que os tolos possuem convicção e os que possuem imaginação e raciocínio vivem cheios de dúvida e indecisão.” (RAUL SEIXAS)

- “Nada mais é coerente se virar de trás pra frente, tanto fez como tanto faz...” (RAUL SEIXAS)

- “A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal.” (RAUL SEIXAS)

- “O sonho do careta é a realidade do maluco.” (RAUL SEIXAS)

- “Tem gente que passa a vida inteira travando a inútil luta com os galhos, sem saber que é lá no tronco que tá o coringa do baralho.” (RAUL SEIXAS)

- “Só há amor quando não existe nenhuma autoridade.” (RAUL SEIXAS)

- “Os meus fantasmas tornaram minha solidão um vício.” (RAUL SEIXAS)
                                                              
- “Sou tímido e sensível à flor da pele. No palco é a hora de vomitar.” (RAUL SEIXAS)

- “... é que tudo acaba onde começou.” (RAUL SEIXAS)


segunda-feira, 17 de julho de 2017

RESENHA CRÍTICA ACERCA DA TRILOGIA CINEMATOGRÁFICA, A CENTOPEIA HUMANA

Resenha crítica da trilogia, A Centopeia Humana

A recente trilogia cinematográfica de Horror, A Centopeia Humana (The Human Centípede), lançada cronologicamente entre os anos de 2009, 2011 e 2015, tem como base inicial a loucura e o sadismo do Dr. Heiter (Dieter Lase), um médico alemão aposentado que desenvolve uma técnica inusitada de ligar seres humanos pelos aparelhos digestivos, transformando-os numa espécie de centopeia humana. Na primeira sequência de 2009 são apenas três pessoas ligadas, porém a ideia prossegue com mais cobaias nos filmes seguintes, onde as vítimas são escolhidas aleatoriamente para participarem dessa experiência macabra.
Dirigida pelo alemão Tom Six, um cineasta inovador que resolveu experimentar cenas extremas e bastante polêmicas em seus filmes, essa trilogia vem sendo duramente repreendida por alguns críticos conservadores, classificando-a como propagadora de filmes repugnantes, perturbadores, um verdadeiro lixo cinematográfico. Não à toa, foi proibida ou censurada em vários países pelo conteúdo aterrorizante de algumas cenas. Entre as quais, sequências obscenas desnecessárias, excesso de sangue, mutilações e violência gratuita, sem falar nas cenas de escatologia e coprofagia que a princípio, se mostram um tanto implícitas.
A primeira sequência de A Centopeia Humana bem que prometia chocar o público com seu argumento forte, embora o filme tenha deixado logo de cara muita gente enojada, horrorizada com o que viu. Uma ideia interessante, apesar de não ter sido melhor aproveitada. Não há como negar que no início dessa franquia, ela apresentava uma proposta mais psicológica e menos caricata do que nas continuações seguintes. Nas sequências posteriores, o contra-senso atinge um grau de paródia, de pura ironia, fazendo o público até rir de certas situações. Com atores mal preparados, interpretando papeis ridículos e roteiros completamente absurdos, os três longas são recheados de clichês. Produções medíocres, com alguma criatividade, certamente, mas que não fogem das estatísticas de filmes considerados ruins.
No segundo filme, a aplicação do procedimento cirúrgico nos indivíduos que compõem a aberração artrópode não acontece, o que o torna ainda mais angustiante pra quem assiste. O vilão Martin (Laurence R. Harvey), um visível perturbado mental, alucinado com centopeias e obcecado com a história do primeiro filme, resolve fazer uma “obra caseira” do jeito que pode. Com isso, as dez pessoas envolvidas nessa nova experiência, têm as suas bocas pregadas ao ânus de outros somente com a ajuda de um grampeador e fita adesiva. O sádico orquestra por horas esse espetáculo macabro e sem a menor piedade, cortando a bunda e arrancando os dentes de suas vítimas sem nenhuma técnica ou anestesia necessária, além de praticar outras formas de torturas e sadismos que chegam a angustiar o telespectador.
A narrativa utilizada pelo diretor, produtor e roteirista Tom Six é no mínimo, tensa. Até uma personagem grávida (fictícia, porém bastante real) participa de uma cena onde ela, sozinha, dar à luz o bebê, mas acaba o esmagando com o pé durante uma fuga.
Por fim, a proposta do terceiro filme, que consiste em criar uma centopeia gigante com 500 pessoas, onde dessa vez presidiários são usados como cobaias. Segundo o enlouquecido diretor da penitenciária, Bill Boss (Dieter Lase, o médico do primeiro filme), essa é uma ideia revolucionária que poderá mudar o sistema prisional americano para o bem, economizando bilhões de dólares para os cofres do Estado. O mais fraco da trilogia, com um protagonista maluco que grita o tempo todo, esse filme superou qualquer expectativa no que diz respeito à frase “Nada é tão ruim que não possa ficar pior”.
A Centopeia Humana retrata de forma vil aquilo que há de mais degradante para o ser humano. As humilhações impostas, mesmo se tratando de algo irreal, ainda são ofensivas e ferem a dignidade de quem assiste a tais cenas. Depois de ver esse tipo de filme, dá pra encarar um filme pornô com a maior naturalidade e respeito pelos atores que o encenam. Em se tratando do gênero Horror, acreditamos que sétima arte tenha mais a nos oferecer.
É bastante aliviador saber que tudo acabou com esse terceiro filme. Afinal, a trilogia como um todo não se trata apenas de filmes dispensáveis. É também apelativa, nojenta, mentirosa, incoerente, sem qualquer roteiro ou história relevante. Desprovida de conteúdo e de cenas que a caracterizem como filmes de horror, chega a beirar o ridículo. Uma brincadeira de mau gosto onde o ponto alto talvez, seja apenas várias pessoas defecando na boca do próximo, algo que os fãs do primeiro filme são obrigados a engolir durante as sequências seguintes.

                                                         Paulo Seixas, julho/2017


Referência:

Trilogia/Filmes, A Centopeia Humana (The Human Centípede), 2009, 2010 e 2015
Dirigido por: Tom Six,


sexta-feira, 14 de julho de 2017

EM ESPECIAL PARA ONTEM, DIA 13 DE JULHO, DIA MUNDIAL DO ROCK

Ontem foi dia de ouvir Rock e de lamentar pelo lixo musical da atualidade...

      Minha sincera homenagem ao dia 13 de julho, Dia Internacional do Rock (Comemorado ontem, não tive como publicar este texto). Que a chama do bom e velho Rock'n Roll não pereça diante dessa musicalidade medíocre do século XXI.
      Vida longa às verdadeiras bandas e cantores que há décadas, traduzem a essência deste já eternizado gênero musical. A exemplo dos Rolling Stones, Iron Maiden, Metallica, Guns N’ Roses, U2... que continuam atuando com a mesma energia do início. E no Brasil, Titãs, Paralamas, Barão Vermelho, Capital Inicial, RPM, Ira, Engenheiros do Hawaii, entre tantas outras.
      Sem esquecer dos clássicos e imortais que há muito deixaram de existir, como The Beatles, Led Zeppelin, Bee Gees, The Doors, Ramones, Queen, Pink Floyd, Nirvana... no Brasil, em especial, Os Mutantes e a Legião Urbana, entre tantas outras bandas e artistas que já não atuam, mas que deixaram um legado musical eterno e inesquecível.
      Consequentemente, faço aqui uma dedicatória aos meus maiores ídolos desse gênero musical, em nível nacional e mundial: Raul Seixas e o rei, Elvis Presley.
        A-wa bop a loom map lop bang boom!!!

      Mas por que essa homenagem em 13 de julho?

      Foi no dia 13 de julho de 1985 que um cara chamado Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats, organizou aquele que foi, sem dúvida, o maior show de rock da Terra, o Live Aid - uma perfeita combinação de artistas lendários da história da pop music e do rock mundial.
    O Rock'n Roll, este gênero musical de grande sucesso surgiu nos Estados Unidos na década de 1950 e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo.
      Em 1954, Bill Haley lança o grande sucesso Shake, Rattle and Roll. No ano seguinte, surge no cenário musical o rei do rock, Elvis Presley. O roqueiro de maior sucesso até então, Elvis lança em 1956 o disco Heartbreaker Hotel, atingindo vendas extraordinárias.
      Diferente de tudo que já tinha ocorrido na música, o rock unia um ritmo rápido com pitadas de música negra do sul dos EUA e o country americano. Uma das características mais importantes desse novo gênero musical foi o acompanhamento de guitarra elétrica, bateria e baixo.

      FELIZ DIA DO ROCK!  LONG LIVE ROCK'N ROLL!!

      “Rock pra mim não é só ritmo, uma dança. É todo um jeito de falar, de andar, de sorrir, vestir, estalar os dedos, namorar." (Raul Seixas)

    "O crítico de Rock é alguém que não sabe escrever, entrevistando gente que não sabe falar, para gente que não sabe ler.“ (Frank Zappa)



                                                          Paulo Seixas e conteúdo da Internet


terça-feira, 4 de julho de 2017

PROJETOS DE LIVROS E ATÉ DE UMA REVISTA SOBRE QUEIMADAS/ PB...

O sonho de qualquer autor, escritor, sem dúvida alguma, é ver a sua obra sendo publicada, chegando ao alcance de qualquer leitor. Eu, por minha vez, só experimentei até hoje essa sensação através dos cordeis que lancei e que distribuí GRATUITAMENTE para a população de Queimadas. 
Acima, todos os cordeis que escrevi, publiquei ou que simplesmente produzi para terceiros.
Apresento nessa postagem alguns projetos literários que nunca saíram (na íntegra) do meu computador. São ideias bastante adiantadas de livros e que, provavelmente, nunca irão pro papel. Portanto, diante da dificuldade financeira de publicar qualquer uma dessas obras, limito-me apenas a mostrar a intenção que tive ao criá-las. 

REVISTA FOTOGRAFIAS HISTÓRICAS DE UMA QUEIMADAS ANTIGA
(Projeto em andamento, dos mais viáveis, talvez...)
Photoshop de Lucas Ferreira
Completamente inédita, trata-se de uma viagem nostálgica através da história de Queimadas, mergulhada em imagens um tanto desconhecidas da maioria da população queimadense. Verdadeiras relíquias de um tempo que se foi. As fotografias que serão expostas foram selecionadas principalmente pelo seu aspecto histórico e cultural, revelando, sobretudo, alguma particularidade em especial, assim como belíssimos cenários do lugar. Material extraído exclusivamente do Blog Tataquaçú, essas fotos encontram-se distribuídas quase sempre em temas, seguindo uma sequência cronológica na medida do possível. Buscando, acima de tudo, relembrar um pouco da história da “cidade das pedras” ao longo do tempo.

MEMÓRIAS INESQUECÍVEIS DE UM ETERNO BRINCALHÃO
Capa ilustrativa, uma matriz da ideia
Minha autobiografia, minhas memórias mais "relevantes", tudo junto e misturado. Uma produção amadora, sem qualquer compromisso com os padrões ou as normas técnicas literárias. Trata-se, no entanto, de uma viagem nostálgica aos meus tempos áureos, passando pela minha infância, adolescência, e culminando nos meus 36 anos de idade, em 2009, data em que encerrei as pesquisas e toda a parte escrita. Dividido em três partes e, consequentemente, em nove capítulos, foi minuciosamente atualizado em 2012, onde alarguei o seu conteúdo com mais algumas lembranças “significativas”, mas todas referentes até o ano que utilizei como marco, 2009. Enfim, essa foi a maneira prática que encontrei de exercitar a minha escrita e composição textual, relatando algumas das minhas aventuras e as amizades de longa data.
      Material publicado com algumas ressalvas no meu Blog e no site Recanto das Letras.

ACRÓSTICOS DIVERSOS - POESIA EM DESFILE
Capa ilustrativa, uma matriz da ideia



     Escrevendo numa linguagem bem diferente da convencional, procurei utilizar aqui a técnica do Acróstico, uma configuração poética um tanto antiga, porém sempre inovadora ao manifestar uma ideia ou um pensamento propriamente dito. Não se trata, portanto, de um dicionário de nomes com os seus respectivos significados. Mas sim, de uma lista exclusiva, especialmente de nomes de garotas, por mim transformada em poemas personalizados. Com efeito, uma espécie de “bagagem sentimental”, referindo-me agora apenas às situações reais, recíprocas ou não.
         Material publicado exclusivamente no meu Blog e no site Recanto das Letras, embora eu venha tentando publicá-lo sem sucesso pela editora da UEPB, desde 2012...

MEMÓRIAS IMEMORÁVEIS DA ÁGUA PURA
Capa ilustrativa, digitada no Word


       Reunião de alguns pequenos cordeis e poemas produzidos no Rio de Janeiro, entre os anos de 2003 a 2008. O tema é um só, a Água Pura, certo depósito de águas no qual trabalhei durante esse período. A experiência que obtive nesse trabalho foi para mim uma verdadeira lição de vida, onde eu realmente aprendi muita coisa, principalmente a “abrir os olhos” perante das coisas, ficando mais esperto diante das maldades da vida.
        Material publicado exclusivamente no meu Blog e no site Recanto das Letras.

QUEIMADAS - DO INSUCESSO À DERROTA
Capa ilustrativa, uma matriz da ideia

     Reunião dos meus três primeiros folhetos de cordel, escritos no final da década de 1990. Reavaliados em abril/2009, apresentam as seguintes “estórias”: • A SOLUÇÃO DE QUEIMADAS (Definitiva), acrescentando um desagravo; • Uma solução para O PEQUENO COMÉRCIO EM QUEIMADAS;  E, na mais surpreendente das ironias, • QUEIMADAS, MINHA CIDADE MARAVILHOSA! (A esculhambação final)
       Material publicado exclusivamente no meu Blog e no site Recanto das Letras.

SOBRE ALGUÉM NADA ESPECIAL... UM MINI ROMANCE DA VIDA REAL. A HISTÓRIA DE UM ROMANCE REAL 
         
Capa ilustrativa, digitada no Word
   

       Utilizando-me apenas de pronomes e alguns adjetivos desprezíveis (#$@$#%$#), consegui narrar toda uma trajetória amorosa/sentimental que vivi com certa pessoa, a qual, felizmente, sumiu da minha vida para sempre. Trata-se, portanto, de uma espécie mais elaborada de desabafo, onde eu procuro mostrar até que ponto pode chegar a falta de caráter de alguém. Iniciei esse texto dois meses antes do fim...
         Material publicado exclusivamente no meu Blog e no site Recanto das Letras.

DISCURSOS POÉTICOS DE UM CANDIDATO FRUSTRADO

Capa do cordel, lançado após eleição
Reunião dos meus melhores discursos em forma de poesia, recitados em palanque ao longo de toda a campanha política em Queimadas/PB, no ano de 2012, na qual me candidatei a um mandato de vereador pelo município. 
Lançado em cordel e também publicado no meu Blog e no site Recanto das Letras, esse material é um registro fiel do que essa campanha eleitoral representou para mim enquanto candidato.


UM AMOR QUE PRA SEMPRE PERDI e PRA QUANDO ELA VOLTAR...
Capa do cordel que produzi, 2015
Textos em poesia desenvolvidos por Dário Cunha Cavalcante, sendo editados e corrigidos por mim. Segundo o autor, o intuito desses poemas é levar reflexões e decepções sobre o amor. Mas, acima de tudo, têm o objetivo maior de mostrar que amando se vive bem e sendo amado, ainda melhor. 
Esse material foi lançado em cordel e também publicado no meu Blog e no site Recanto das Letras.

MÚSICAS/ TEMAS DE COMERCIAIS ANTIGOS DE TV E RÁDIO
     
Capa ilustrativa, digitada no Word
  Estas letras musicais fazem parte de um acervo particular de mais de 150 comerciais de TV e Rádio, especialmente, das décadas de 1980 e 1990, quando eu decorava e escrevia à mão esse material num pequeno caderno escolar.
  Material publicado exclusivamente no site Recanto das Letras.



Processo de criação de um dos meus cordeis. João de Carminho, Um Mito Queimadense,
onde teci em versos um relato biográfico de uma figura lendária em Queimadas.
A satisfação de poder publicar uma obra literária não tem preço. Inclusive,
esta fotografia clicada pela câmera do amigo Marlon Luã, foi na biblioteca de
seu irmão, o amigo Marciano Monteiro, que lançou a pouco seu primeiro livro,
A Política como Negócio de Família: para uma sociologia política das elites e
do poder político familiar.


     Meu endereço no site Recanto das Letras: