sábado, 26 de março de 2011

ACRÓSTICOS DIVERSOS


ACRÓSTICOS DIVERSOS





POESIA EM DESFILE





                                                                                                                    Paulo A. Vieira




ACRÓSTICOS DIVERSOS



DISPOSTOS EM ORDEM CRONOLÓGICA
(REFERENTE À COMPOSIÇÃO)



POESIA E ARTE EM DESFILE



A UNIÃO PERFEITA ENTRE
A HORIZONTAL E
A VERTICAL



                                                                                                                        Paulo A. Vieira





Quero dedicar este trabalho, em especial, à memória do nosso querido e inesquecível diretor, também educador, José Miranda Filho. Ele que foi o responsável direto pelos meus primeiros passos no mundo das palavras.

Descanse em paz, professor (in memoriam)





AGRADECIMENTOS


Primeiramente, à poesia e à arte eterna de Raul Santos Seixas (in memoriam), minha inspiração maior. E em especial a todas as paixões não-correspondidas, desilusões amorosas e amores impossíveis, situações mais que frequentes nesta minha vida. Consequentemente, a matéria-prima e a base principal deste meu modesto trabalho.




PREFÁCIO

Ser poeta nem sempre é ser romântico, mas saber fazer das palavras mais um caminho para se chegar ao coração... Ser poeta não é perceber-se experiente, mas capaz e desejoso de cada vez mais experimentar... Ser poeta não é somente expressar simbólica ou gramaticalmente o que sente, o seu eu-interior, mas com sua própria forma de escrever e descrever conseguir transcrever o que se passa ao seu redor, o que outras pessoas, tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo, vivem, sentem e são. Pois sem ter consciência do seu poder, na maioria das vezes, o poeta ao transcrever seus sentimentos e pensamentos, consegue concretizar em palavras muitas vidas, muitos seres humanos, que como ele, não conseguem ver-se como realmente são, mas que se reconhecem no outro, na voz do outro, nos versos do outro.

Os Acrósticos desta obra que se iniciou há, pelo menos, quinze anos são apenas alguns dos sinais, das constatações, da verdadeira alma de um poeta, que como todos os poetas, são considerados loucos, anormais, sonhadores, por terem a coragem e a sabedoria de viver e dizer o que sentem, sem se preocupar com a formalidade de uma sociedade que se diz culta, mas que despreza e não valoriza os verdadeiros valores que transformam um ser pensante em alguém de caráter, solidário, realmente digno de receber a denominação de “ser humano”.

A vida talvez ainda não conseguiu torná-lo reconhecido tanto quanto mereça ser, mas tudo tem seu tempo, como já disse o mais sábio dos sábios, e quem sabe um dia, amanhã ou depois de amanhã, não iremos ver o nome deste autor em algum lugar de destaque social. A glória nunca será o mais importante, mas o orgulho de ser quem realmente é e conseguir vencer em meio a um planeta consumista literalmente, pois destrói almas, sonhos em troca de mais cédulas ou ações monetárias que geralmente financiam muito mais o mal do que o bem.

Enfim, o poeta, ou melhor, como ele gosta de autodenominar-se, “o aprendiz de poeta” Paulo tem muito a nos dizer. Talvez uma palavra, um momento dele também tenha algo que possa alegrar, fazer você reviver ou viver com mais prazer, mais disposição. Porque irreverência e sinceridade são seus sinônimos mais que perfeitos.

Milene de Farias Moura
Bacharel em Comunicação Social pela UEPB




INTRODUÇÃO

Sempre tive uma imensa vontade, um enorme desejo de poder escrever alguma coisa, algo que pudesse, ao mesmo tempo, identificar-se comigo, falando numa linguagem bem diferente da convencional. Isso só foi possível utilizando a técnica do Acróstico, uma configuração poética um tanto quanto inusitada, antiga, porém inovadora ao manifestar uma ideia ou um pensamento propriamente dito.

Dispostos cronologicamente, isto é, na ordem primária de composição, esses Acrósticos apresentam-se aqui em variadas formas e textos. Na narrativa, a segunda pessoa prevalece, e alguns poemas até recebem um comentário extra, identificando a sua relação e o seu desejado objetivo. Outros, em primeiríssima pessoa, encontram-se todas as vezes iniciados por aspas, revelando também sua relação e origem como tal. E, invariavelmente, quase todos se encerram com um “suspiro filosófico”, ora de Raul Seixas, ora da Legião Urbana.

Podemos encontrar ainda aqueles denominados (por mim) de “Acrósticos perfeitos”, uma perfeita harmonia entre os vocábulos, onde são categoricamente distribuídos e alinhados em um mesmo número por versos. Seguindo, pois, uma métrica própria, sem repetição de palavras e sempre observando e respeitando a uniformidade. Um verdadeiro “mosaico gramatical”.

Em tempo, gostaria de lembrar que esta pequena obra (amadora por excelência) não se trata, portanto, de um dicionário de nomes com os seus respectivos significados, como pode parecer à primeira vista. Mas de uma lista exclusiva, principalmente de garotas, por mim transformada em poemas personalizados; a bela arte do Acróstico. Com efeito, uma espécie de “bagagem sentimental”, referindo-me agora apenas às situações reais, recíprocas ou não.

Em resumo, uma ideia, no mínimo, original, valendo a pena conferir. Um trabalho que se arrasta por mais de quinze anos e que somente agora vem a público. E como já dissera uma vez, apresento-me aqui apenas como um frustrado aprendiz de poeta, sem maiores preocupações com a literatura formal ou no que se refira às suas regras e imposições.

                                                                                                     Paulo A. Vieira,
Queimadas, abril/2010.



“Sou escritor por excelência, ator por desejo e compositor por raiva”.
(RAUL SEIXAS)




EM DEFINIÇÃO:

A arte do resumo, da combinação e da poesia,
Cada vez menos difundido, tampouco é aplicado.
Resolução poética com tema, empregando analogias
Ou uma infinidade de expressões (sentido figurado).
Sem um estilo único, pode ser,ainda, personalizado;
Texto, pessoas... tudo flui num determinado momento.
 Ideias são transformadas em enunciados e rimas,
Como num passe de mágica, tudo encaixa e combina;
O resultado é algo mais do que um passatempo.


ESCOLHA O SEU!


PAULO A. VIEIRA
NOV/2000



ACRÓSTICOS DIVERSOS
ÍNDICE (EM ORDEM ALFABÉTICA)


00 ACROSTICO – p. 11
160º DEBORA – p. 179
137º FLAVIA – p. 156
16º ADRIANA – p. 32
13º DESESSEIS – p. 29
76º FRANCISCA – p. 95
45º ADRIANE – p. 64
154º DIANA – p. 173
75º FUTEBOL – p. 94
2º ALINE – p. 18
68º DICIONÁRIO – p. 87
112º GABRIELLA – p. 131
24º ALINE – p. 40
92º DINHEIRO – p. 111
84º GERLANE – p. 103
126º AMANDA – p. 145
149º EDUARDA – p. 168
188º GICELIA – p. 210
56º AMELIA – p. 75
128º EDVANIA – p. 147
3º GILVANIA – p. 19
66º AMIZADE – p. 85
62º ELAINE – p. 81
157º GISELE – p. 176
64º AMOR – p. 83
158º ELBA – p. 177
55º GISELLE – p. 74
49º ANA PAULA – p. 68
122º ELIANE – p. 141
107º GISELLE – p. 126
108º ANA PAULA – p. 127
11º ELIZABETH – p. 27
119º GISELLE – p. 138
30º ANDREA – p. 46
117º ELOISA – p. 136
131º GISELLE – p. 150
93º ANGELA – p. 112
120º ELOIZA – p. 139
57º GLORIA – p. 76
6º ARINDA – p. 22
121º ELOIZA – p. 140
61º HELENA – p. 80
17º ARINDA – p. 33
28º ERNESTAO – p. 44
82º HERBERT – p. 101
99º ARINDA – p. 118
33º FABIANA – p. 49
22º HERNILMA – p. 32
103º BARBARA – p. 122
151º FABIANA – p. 170
73º INES – p. 92
143º BIANCA – p. 162
165º FABIANA – p. 184
111º INGRID – p. 130
144º BIANCA – p. 163
166º FABIANA – p. 185
100º INVEJA – p. 119
88º BRENDA – p. 107
167º FABIANA – p. 186
18º ISABELA – p. 34
109º CARLA – p. 128
168º FABIANA – p. 187
171º ISABELA – p. 190
169º CARMEM – p. 188
170º FABIANA – p. 189
161º JADE – p. 180
25º CAROLINE – p. 41
177º FABIANA – p. 196
163º JADEANE – p. 182
89º CIDA – p. 108
180º FABIANA – p. 199
181º JAILMA – p. 200
5º CINTIA – p. 21
125º FABIOLA – p. 144
174º JANAINA – p. 193
80º CLAUDECIR – p. 99
101º FELICIDADE – p. 120
102º JESUS – p. 121
50º CLAUDIA – p. 69
27º FERNANDA – p. 43
97º JOANA – p. 116
178º CLEONEIDE – p. 197
20º FLAMENGO – p. 36
36º JOELMA – p. 52
74º COPACABANA – p. 93
77º FLAVIA – p. 96
164º JOICE – p. 183
115º CRISTIANE – p. 134
132º FLAVIA – p. 151
150º JOICILENE – p. 169
90º DANIELA – p. 109
133º FLAVIA – p. 152
159º JOICILENE – p. 178
38º DÉBORA – p. 57
134º FLAVIA – p. 153
26º JOSEANE – p. 42
155º DEBORA – p. 174
135º FLAVIA – p. 154
19º JOSELY – p. 35
156º DEBORA – p. 17
  Ver índice completo
                    clicando
136º FLAVIA – p. 155
        Acrósticos                   Diversos
23º JUAREZp. 39
 no painel inicial
 do  Blog

Um comentário:

  1. Acho o acróstico muito interessante,é de alguma maneira uma homenagem,palavras que merecem ser guardadas pra sempre.

    ResponderExcluir