sábado, 18 de dezembro de 2010

APRESENTAÇÃO + CORDEL SOBRE VIOLÊNCIA (projeto)

Caros amigos,

Buscarei a partir de agora, através de postagens inicialmente semanais/quinzenais, mostrar algumas das minhas inúmeras "criações literárias", frutos incontestáveis de uma vida quase sempre ociosa. A princípio, percebe-se que se trata de um material - na sua maioria - bem particular, visivelmente amador (não sigo nenhuma linha ou corrente) e que somente agora vem a público.
Sem nenhuma pretensão verdadeiramente literária ou de qualquer outra natureza específica - ficando evidente, portanto, uma interdisciplinaridade em relação ao conteúdo  - , irei expor aqui as minhas ideias (algumas um tanto extravagantes), as quais poderão, em tempo, ser analisadas e também criticadas na medida do possível. Estarei, por fim, aberto a qualquer tipo de crítica ou comentário (mesmo não respondendo-o ou justificando-o), em especial, no que diz respeito ao formato e conteúdo dos textos divulgados.
Sabendo da enorme responsabilidade a que me proponho, espero não decepcionar muito aquelas pessoas que já conheço de outras fases, bem como não desapontar outras tantas que decidirem acessar-me. Até porque, como já dissera, as opiniões que defendo e as quais serão expostas aqui, tratam-se de trabalhos essencialmente amadores e sem nenhum comprometimento com padrões ou regras.

Paulo A. Vieira
Dezembro/2010


                                 MEU CORDEL MAIS RECENTE 

      R ETRATO
                    3X4
             DE UM PAÍS
            NO BURACO

                  Em “martelo agalopado”

                                        
                                                        Paulo A. Vieira




        RIO DE JANEIRO, INÍCIO DE 2009
        
De norte a sul deste país
Em todo estado brasileiro
São Paulo, Rio de Janeiro...
Se encontra gente infeliz.
Um povo que sonha e diz
Ainda não haver abandonado
A esperança como resultado
De um coração sempre inquieto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

O Brasil pede clemência
E a sua nação fragilizada
Naturalmente amedrontada
Com toda essa violência,
Espera agora uma providência
Do Congresso, do Senado
Senadores e deputados
Esse grupinho tão seleto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

A alta sociedade vive o drama
E a ameaça sempre constante
Do sequestrador, do assaltante
Todos os dias da semana,
E protege a quem tanto ama
Em condomínios sofisticados.
O pobre, por vezes discriminado
Encara o medo e o perigo de perto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

É a desigualdade social
A base de tanto problema
No entanto, o egoísta que acena
Reivindicando a paz afinal,
Por vezes não lembra o mal
Que outrora tenha causado,
Ora por ter se recusado
A ajudar alguém sem teto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

O ideal seria compartilhar
E distribuir melhor a renda
Tapando de vez essa fenda
Para, enfim, o país melhorar.
O dinheiro, só para lembrar
É mesmo um bem amaldiçoado
Torna o homem um alienado
E a sua vida vira um deserto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Fazer pressão não adianta
Ou só cobrar dos governantes
É necessário cultivar antes
Algo de bom que se garanta.
Resolver assim, só de garganta
Certamente não é o mais indicado
Atitude e bom senso como aliados
São recursos bem mais concretos,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

A violência se faz presente
Não só pela falta de condições
Ou por não haver mais opções
De se trabalhar honestamente.
A maldade agora tão iminente
Está ligada às drogas, aos viciados,
Fazendo do policial mal remunerado
O seu intercessor quase direto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

A integridade do cidadão
É também um direito sagrado
Lavrado e sacramentado
Garantido pela Constituição.
Mas, algo fugiu à compreensão
Deixando o país indignado,
Gestante teve o corpo alvejado
Sem dar chance àquele feto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

É necessário ter que agir
Aplicando leis mais duras
Para que as gerações futuras
Não venham, pois, sucumbir.
Sem o direito de ir e vir
O cidadão é desrespeitado
E já está sendo ameaçado
No seu convívio em aberto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Que surjam, então, iniciativas
De combate à criminalidade
Como redução da maioridade
E tantas outras alternativas,
Mas que tenham função ativa
Sem contemplar privilegiados
Pois a família de um vitimado
Merece mais justiça e afeto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Para que cenas descabidas
Como de uma criança arrastada
Que teve sua vida ceifada
Da forma mais pervertida,
Sejam de uma vez banidas
Com processos bem aplicados
O bandido, enfim, indiciado
E com um julgamento correto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Os crimes mais violentos
Sugerem uma punição diferente
Pena de morte para essa gente
Realizada no seu intento,
O oposto do arrependimento
De quem rouba um supermercado
Aquele pobre desempregado
Que para não morrer fica quieto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

A impunidade é garantida
Nas penas do Judiciário
E o sistema penitenciário
É uma instituição falida.
Essa banalização da vida
É preocupação do Estado
Cada vez mais desorganizado
Já está merecendo um veto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Em virtude das leis atuais
Regidas por um Código Penal
Obsoleto e com um diferencial
Que só beneficia os marginais,
É impossível se falar em paz.
O brasileiro vive angustiado
No meio de um fogo cruzado
E o seu destino parece incerto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Em nenhum lugar do mundo
Um político ou empresário
Só por ser réu primário
É absolvido num segundo.
O desespero é profundo
Para qualquer injustiçado,
Se for pobre é condenado
Um veredicto nada discreto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Em meio a roubo, bala perdida,
E uma polícia desacreditada
A liberdade fica subjugada
Com essa guerra constituída.
A população surpreendida
A cada dia foge prum lado,
O mais humilde, o favelado
Ora por Deus e fica esperto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Essa onda de assassinatos
Envolvendo adolescentes
Viciados, porém carentes
Se contradiz em alguns fatos.
Os autores de tais atos
Desses crimes tão forjados
Não seriam bandidos fardados
Pelo local passando reto?!
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Muitos que deveriam proteger
Tornam-se uma praga operante
Aliando-se a traficantes
Com a influência do poder,
ficando até mais fácil morrer
Nas mãos de um policial “safado”.
E mais uma vez prejudicado
O cidadão faz seu protesto,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

Talvez quem sabe, algum dia
Ainda se mude esse final
Quando se extinguir todo o mal
Que tanto aflige a maioria.
Quando se abolir a hipocrisia
E a indiferença dos acomodados
Antes e agora preocupados
Em só prover filhos e netos,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.

A paz e a liberdade
É para todo ser humano
O seu direito soberano,
A sua própria identidade.
E o brasileiro, na verdade,
Que é um povo determinado
Um dia será contemplado
Com novas leis e projetos,
Um dia o Brasil vai dar certo
Esse será o seu maior legado.



NOTA


Gostaria de dedicar este trabalho
Em especial, a todos aqueles que
De certa forma ajudam a contribuir
Para um futuro melhor, plantando
Sempre a semente do bem.



“... Tenha fé em Deus, tenha fé
na vida, tente outra vez!”
(Raul Seixas)





              ACRÓSTICO, setembro/2002

Viver sem medo se tornou uma utopia,
Infelizmente, essa é a dura realidade.
Oremos pela paz que outrora existia,
Legado há muito esquecido pela humanidade.
Estamos perdendo a nossa identidade,
Ninguém anda seguro, mesmo à luz do dia.
Convivemos com todo tipo de atrocidade,
Inveja, ódio e todo sentimento covarde
Anunciam de vez uma era de melancolia.

                                                         Paulo A. Vieira

3 comentários:

  1. E tem a coragem de dizer q ñ sabe escrever.
    Tu é o cara!!

    ResponderExcluir
  2. "Retrato" fiel da atual situação brasileira. Seriamos mais felizes se a educação e as oportunidades fossem democratizadas e todos pudessem acompanhar o trabalho de pessoas como você Raul, pessoas que trabalham pela exposição de suas ideias e a valorização da arte popular. Parabéns, continue trabalhando, afinal, oportunidades são como o sol, todos os dias elas aparecem e vão embora. Cabe a nós fazer o nosso próprio destino.

    Paulo Pessoa

    ResponderExcluir
  3. muito legal essa crítica.
    também acho que esse assunto que você aborda nunca deixará de ser atual.porque o homem é lobo do homem.

    ResponderExcluir