terça-feira, 19 de maio de 2015

UMA QUESTÃO DE CONSCIENTIZAÇÃO – PARTE 2

      UMA QUESTÃO DE CONSCIENTIZAÇÃO – PARTE 2

 Neste último domingo, dia 17 de maio, mais uma vez resolvi subir a Pedra do Touro (o lajedo que leva à Pedra do Touro), em Queimadas PB, com um objetivo especial: procurar limpar, o máximo possível, a parte superior da pedra. Um trabalho que incluiu, sobretudo, a coleta de garrafas pet, vidros, latas e uma infinidade de plásticos em geral.
Aproveitei o convite de alguns amigos que foram fazer um pic nic no local, logo pela manhã, e de antemão, providenciei o material necessário para levar. Ao chegarmos lá, tomamos café, conversamos bastante, tiramos várias fotos, e mesmo antes da galera descer, eu já havia iniciado, sozinho, a minha jornada voluntária,
Entre as 09h00 da manhã até às 11h30, debaixo de um sol fortíssimo que não dava trégua, catei lixo suficiente para encher um saco enorme, o qual foi especialmente confeccionado para esse fim. E apesar das dificuldades e dos obstáculos naturais que encontrei pelo caminho, como as temíveis urtigas e “unhas de gato” de toda espécie (por sorte, não há cobras nessa área), em momento algum reclamei. Até porque não faço isso para me promover, mas por uma questão de conscientização mesmo.
Nesse meio tempo, somente algumas poucas pessoas apareceram por lá, entre outras coisas, elogiando a minha iniciativa. E isso, eu acredito, já foi mais que suficiente para dar por concluída a minha parte.
Espero que as pessoas que costumam subir a pedra para contemplar a paisagem e todo o seu belíssimo visual, usem mais a consciência e o bom senso, não sujando aquela área que é um patrimônio natural de todos. As mesmas mãos que levam uma garrafa ou qualquer outro objeto descartável lá para cima, também podem tranquilamente descer com seu lixo produzido e o colocar, de preferência, no meio do lixo reciclável.

    A seguir, o passo a passo de uma atitude ecologicamente correta:

Chegamos à pedra por volta das sete e meia da manhã
Tomamos um café reforçado em meio à natureza exuberante do lugar
Aqui eu já imaginava o trabalho que teria pela frente...
Um pouco de música e contemplação da paisagem...
Uma foto automática com todos, para registrar o momento
Antes da galera descer, fizeram umas fotos da minha atividade...
...onde eu tive que entrar em várias fendas e precipícios.
Havia lixo espalhado por toda parte...
...que logo começou a "inchar" o saco.
Agradeço à amiga Alanne Rayssa que fez esses registros iniciais...
...fotos que servem para ilustrar a falta de educação de muitos.
A cata dos detritos eu fazia com as mãos puramente nuas...
...na sua grande maioria, garrafas pet e copos descartáveis.
Por onde havia fendas e desse para entrar, eu descia...
Aqui entra em cena as fotos do amigo Geovanio Santos
Por sorte, outra galera que subiu a tempo de fazer mais fotos
Aqui dá pra ter uma ideia de quanto lixo se acumula pelo local
Catei tudo que estava ao meu alcance, onde eu pude penetrar
Devo admitir que tinha menos lixo do que da última vez...
Hora de descer com a "féria" do dia...
O medo era do saco se abrir...
O saco mais uma vez deixei com o pessoal que mora abaixo,
os quais trabalham com reciclagem

Espero que essa minha iniciativa sirva de exemplo para alguém, pois sabemos que, diante da preservação do meio ambiente, uma atitude nossa pode mudar o mundo.

Um comentário:

  1. Isso é o que eu chamo de consciência ecológica, parabéns Paulo Seixas.

    ResponderExcluir