segunda-feira, 19 de setembro de 2011

MAIS UM SONETO AUTORAL

Quero dedicar este soneto àquela que um dia me serviu de inspiração (uma dolorosa inspiração, diga-se de passagem) para compor não somente este, como vários outros poemas apaixonados. É pra você, Raquel Farias!

 
   SONETO DE UMA DESILUSÃO


Meu coração já não consegue disfarçar
Esta paixão que agora volta a renascer
Razão pela qual não consigo te esquecer,
Onde lembranças só me fazem lamentar.

Responsável pelas vezes que me fez chorar
Este sentimento ainda insiste em convencer
Que a minha vida não tem sentido sem você,
Embora a realidade não se deixe enganar.

A ausência do teu beijo, do teu carinho
Faz de mim um homem infeliz e sozinho
Que já não sabe mais a quem recorrer.

Antes, porém, nem tivesse a conhecido
Evitando este amor não-correspondido,
A definição natural do verbo sofrer.
                             
                               Paulo Seixas, junho/2011


Um comentário:

  1. Bonito, porém triste.Triste,porém bonito.Talvez se esse amor fosse correspondido,tal inspiração não existiria.Ela sabe ao menos da existência destes poemas???

    ResponderExcluir